NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS E BIOPOLÍTICA MOLECULAR: COMUNICAÇÃO E SAÚDE NAS CULTURAS DO CONSUMO

Tânia Hoff, Ana Catarina Holtz

Resumo


Considerando a interface Comunicação e Saúde, abordamos, neste artigo, narrativas autobiográficas a partir da produção de sentidos sobre testes de ancestralidade no contexto das culturas do consumo no Brasil. Perguntamo-nos quê narrativa autobiográfica é possível a partir destes testes e de uma biopolítica marcada pela tecnociência e pelas lógicas de mercado. Para a análise do corpus, formado por material de comunicação divulgado no site do laboratório brasileiro Genera, detemo-nos na produção de sentidos que suscitam modos de narrar-se a si mesmo. No referencial teórico, mobilizamos autores como Rose, Lipovetsky, Sibilia e Santaella.


Palavras-chave


Comunicação e saúde; consumo; biopolítica; testes de ancestralidade.

Texto completo:

PDF