O TRABALHO EM CRIAÇÃO PUBLICITÁRIA COMO REDUTO MASCULINO: INSTITUCIONALIZAÇÃO, HABITUS E HEGEMONIA

Autores

  • Fabio Hansen Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Cátia Schuh Weizenmann Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM)

Palavras-chave:

Gênero, Criação publicitária, Ensino de Publicidade, Feminino

Resumo

Resumo

Neste texto investigamos o fato de haver uma significativa discrepância entre o número de homens e mulheres nos departamentos de criação de agências de publicidade. A partir da hipótese da institucionalização do lugar do masculino e do feminino no mundo do trabalho, especialmente nas agências, tal dado entra em rota de colisão com outro: a distribuição paritária de homens e mulheres nas salas de aula do curso de graduação em Publicidade e Propaganda. O eixo central da nossa proposta está na identificação de mecanismos comunicativos, no âmbito do mercado publicitário e nas Instituições de Ensino Superior, que legitimam a criação publicitária como espaço de atuação masculino, configurando a divisão sexual do trabalho e a reprodução da dominação masculina no universo publicitário.

Palavras-chave: Gênero; Criação Publicitária; Ensino de Publicidade; Feminino.

 

Abstract

In this paper we investigate the fact that there is a significant discrepancy between the number of men and women in the creation departments of advertising agencies. From the hypothesis of the institutionalization of the masculine and feminine places in the work environment, especially in agencies, this data enters a collision course with another: the equal distribution of men and women in Advertising and Marketing graduate classrooms. The central axis of our proposal is the identification of communication mechanisms within the scope of the advertising market and of the Higher Education Institutions, which legitimize advertising creation as a male working environment, configuring the gender division of the work and the reproduction of the male dominance in the advertising universe.

Keywords: Gender; Advertising Creation; Advertising Education; Female.

 

Resumen

En este trabajo se investiga el hecho de que hay una discrepancia significativa entre el número de hombres y mujeres en la creación de departamentos de agencias de publicidad. A partir de la hipótesis de la institucionalización del lugar de lo masculino y lo femenino en el lugar de trabajo, especialmente en agencias, tal dato entra en un curso de colisión con otro: la distribución equitativa de hombres y mujeres en las aulas de licenciatura en Publicidad y Propaganda. El eje central de nuestra propuesta es la identificación de los mecanismos comunicativos dentro del mercado de la publicidad y de las instituciones de educación superior que legitiman la creación de publicidad como espacio de actuación masculina, el establecimiento de la división sexual del trabajo y la reproducción de la dominación masculina en el universo la publicidad.

Palabras clave: Género; Creación de la Publicidad; La Educación de Publicidad; Femenina.

 

Biografia do Autor

Fabio Hansen, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Publicitário, Doutor em Letras pela UFRGS. Professor no Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Professor permanente no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM UFPR) na linha de pesquisa Comunicação, Educação e Formações Socioculturais. Autor do livro (In)verdades sobre os profissionais de criação: poder, desejo, imaginação e autoria. Pesquisador nos Grupos de Pesquisa certificados no CNPq: Ensino Superior de Publicidade e Propaganda e Estudos sobre Comunicação, Consumo e Sociedade.

Cátia Schuh Weizenmann, Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM)

Doutora em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Docente na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Downloads

Publicado

23-03-2016

Edição

Seção

Artigos / Artículos