MIDIATIZAÇÃO DO ATIVISMO E JORNALISMO DIGITAL: O IMPACTO DOS FILTROS DO FACEBOOK NOS PROCESSOS DE PRODUÇÃO E CIRCULAÇÃO DE CONTEÚDOS DE COLETIVOS MIDIÁTICOS

Autores

  • Maria Clara Aquino Bittencourt Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Unisinos Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação

Palavras-chave:

Facebook, midiatização do ativismo, filtros de personalização, coletivos midiáticos, jornalismo digital

Resumo

Resumo

Tentativas de controle de tráfego e de centralização do fluxo de conteúdos pelo Facebook através de filtros de personalização afetam a produção e a circulação de conteúdos de coletivos midiáticos que reportam o cotidiano de movimentos em rede. Trabalha-se com a ideia de midiatização do ativismo, considerando a apropriação de tecnologias de comunicação no cotidiano de movimentos em rede. Discute-se o jornalismo digital nesse contexto em que o Facebook estabelece mecanismos de concentração que visam reter o usuário através da personalização da oferta de conteúdos e de parcerias com veículos jornalísticos tradicionais.

Palavras-chave: Facebook; Coletivos Midiáticos; Jornalismo Digital; Filtros de Personalização.

 

Abstract

Attempts of control of traffic and of centralization of the flow of contents by Facebook by means of personalization filters affect the production and the circulation of contents of collective media that report on the everyday network movements. One works on the idea of mediatization of activism, considering the appropriation of communication technologies in the everyday network movements. One discusses digital journalism in this context in which Facebook establishes concentration mechanisms that aim at retaining the user by means of personalization of the supply of content and of partnerships with traditional news vehicles.

Keywords: Facebook; Collective media; Digital journalism; Personalization filters.

 

Resumen

Los intentos de control de tráfico y centralización del flujo de contenido por parte de Facebook a través de filtros personalizados afectan a la producción y circulación de contenidos por colectivos mediáticos sobre el cotidiano de movimientos en red. El trabajo tiene como base la idea mediatización del activismo, teniendo en cuenta la apropiación de tecnologías de la comunicación por movimientos en red. Se argumenta sobre periodismo digital en este contexto en que Facebook establece mecanismos de concentración encaminadas a retener al usuario mediante la personalización de la oferta de contenidos y se asociando con los vehículos periodísticos tradicionales.

Palabras-clave: Facebook; Colectivos mediáticos; Periodismo digital; Filtros de personalización.

 

Biografia do Autor

Maria Clara Aquino Bittencourt, Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Unisinos Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação

Professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Pós-Doutora em Ciências da Comunicação pelo mesmo programa. Doutora e mestre em Comunicação e Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Graduada em Comunicação Social, habilitação Jornalismo, pela Universidade Católica de Pelotas. Atua na área de Cibercultura, com ênfase no campo acadêmico, principalmente nos seguintes temas: convergência midiática, espalhamento de informações, movimentos e mobilizações sociais em rede, hipertexto e jornalismo digital. Membro dos Grupos de Pesquisa Estudos em Jornalismo (GPJor) e Laboratório de Investigação do Ciberacontecimento (LIC), na Unisinos.

Downloads

Publicado

23-03-2016

Edição

Seção

Artigos / Artículos