A FICÇÃO COMO FÓRUM: REFLEXÕES SOBRE PERIFERIAS E SAÚDE POR JOVENS AUDIÊNCIAS DE ‘MALHAÇÃO’

Autores

  • Douglas Maia Colarés UFMG
  • Marcia Rodrigues Lisboa Fundação Oswaldo Cruz

Palavras-chave:

Comunicação e Saúde, Malhação, Jovens, Periferias

Resumo

O artigo resulta de uma pesquisa qualitativa que enfocou as reflexões de jovens residentes na Baixada Fluminense (RJ) sobre a construção ficcional daquele território feita pela novela “Malhação – Toda forma de amar”. A trama é perpassada por situações de violência, reveladoras de grandes desigualdades sociais nas metrópoles. Interessou ao estudo, sobretudo, investigar os modos de ver a abordagem ficcional sobre uma periferia em suas interconexões com a saúde e as formas como as vivências dos jovens são refletidas nesse processo. A análise referenciou-se em estudos sobre comunicação e narrativas ficcionais; juventudes; e violência e saúde.

Biografia do Autor

Douglas Maia Colarés, UFMG

Graduado em Jornalismo (UFRRJ), mestrando em Comunicação (PPGCOM/UFMG).

Marcia Rodrigues Lisboa, Fundação Oswaldo Cruz

Pesquisadora do Laboratório de Comunicação e Saúde da Fiocruz, mestre em Comunicação e Cultura (UFRJ) e doutora pelo PPGICS/Fiocruz

Downloads

Publicado

03-02-2021

Edição

Seção

Dossiê: Comunicação popular, cidadania e mudança social / Dosier: Comunicación Popular, Ciudadanía y Cambio Social