A FÁBULA DO VIROCENO: NARRATIVAS SOBRE HEROÍSMO, SOLIDARIEDADE E NOVO NORMAL

Autores

  • Raquel Aguiar Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz)
  • Inesita Soares de Araújo

Palavras-chave:

Comunicação e Saúde, Pandemia, Biopoder, Medo

Resumo

Em sua dimensão simbólica, a pandemia reconfigura contextos que, do ponto de vista da Comunicação e Saúde, afetam condições de produção dos sentidos. Estas mudanças contextuais ganham contornos mais nítidos na conceituação de Viroceno, que superlativiza o medo e radicaliza o biopoder. Mapeamos as narrativas de alta circulação que repetem ou inflacionam narrativas típicas de crises sanitárias e aquelas que se apresentam como específicas do contexto pandêmico (o heroísmo e a solidariedade) e da projeção de futuro (o novo normal). Argumentamos que as narrativas específicas do Viroceno têm caráter moralizante, à semelhança das fábulas.

Biografia do Autor

Raquel Aguiar, Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz)

Coordenadora de Jornalismo e Comunicação do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz)

Inesita Soares de Araújo

Pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/Icict/Laces), doutora em Comunicação e Cultura, pós-doutora em Ciências Sociais. 

Downloads

Publicado

03-02-2021

Edição

Seção

Dossiê: Comunicação popular, cidadania e mudança social / Dosier: Comunicación Popular, Ciudadanía y Cambio Social