MEMÓRIA DE VELHOS SAMBISTAS EM TEMPOS DE PANDEMIA

Autores

  • Maria Livia Roriz Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Comunicação, Psicologia, Memória, Velhos Sambistas, Covid-19

Resumo

O propósito do artigo, cuja base teórica centra-se na questão da memória, é perceber trabalhos de memória de velhos sambistas na contemporaneidade. A pandemia do Covid-19 instalou um tempo em suspensão, obrigando a adoção de estratégias e ações, que, no caso do grupo estudado, fez dos trabalhos da memória possibilidades de religar o presente a um futuro de incertezas. Essas ações narrativas entretempos, bem como os trabalhos memoráveis desencadeados nessa “comunidade de músicos” (Halbwachs, 2006), serão observados nas apresentações musicais online (conhecidas como “lives”) realizadas, durante vários meses no decorrer da pandemia.

Biografia do Autor

Maria Livia Roriz, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pós-Doutoranda em Comunicação no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Bolsista PNPD-CAPES. Doutora em Comunicação e Cultura (2018) pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura (PPGCOM) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestre em Psicologia Social (2013) pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social (PPGPS) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), possui graduação em Psicologia pela Universidade Gama Filho (2003). Desenvolve pesquisa sobre memória, idosos e a música.  

Downloads

Publicado

03-02-2021

Edição

Seção

Artigos livres / Artículos libres