A “Guerreira” Sofredora: o impacto das narrativas midiatizadas nas redes de mães e esposas de presos

Autores

  • Natalia Kleinsorgen Universidade Federal Fluminense
  • Geisa Rodrigues Leite da Silva Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Feminilidade, Criminalização secundária, Socialização Feminina, redes sociais

Resumo

O presente artigo pretende expor algumas marcas discursivas oriundas da midiatização dos papéis sexuais femininos, com foco nas mães e esposas de homens encarcerados. Para isso, definimos “feminilidade” como processo orientador da socialização feminina, utilizando principalmente Margarita Pisano (2004), Rose Marie Muraro (2017), Audre Lorde (2019) e Patricia Hill Collins (2019). Trazemos também o conceito de “prisionização secundária” (Megan Comfort, 2008) para debater o papel das instituições na vida dessas mulheres, analisar algumas páginas auto-organizadas por elas no Instagram, e perceber as reproduções e enfrentamentos dos papéis sexuais.

Biografia do Autor

Natalia Kleinsorgen, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda no programa de pós-Graduação em Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense
(ppGmc/uFF), bolsista da Capes

Geisa Rodrigues Leite da Silva, Universidade Federal Fluminense

Professora Associada da Universidade Federal Fluminense (UFF) departamento de Comunicação Social. Doutora em Letras pela Puc-Rio, Mestre em Comunicação pela UFF.

Downloads

Publicado

06-08-2022