Aruanas: a Agenda 2030 da ONU na pauta da ficção seriada em streaming

Autores

Palavras-chave:

Ficção seriada, Produção de sentidos, Agenda 2030, Aruanas

Resumo

A discussão problematiza como se constroem os sentidos sobre o meio ambiente na primeira temporada da série brasileira “Aruanas” (TV Globo/2019), disponibilizada em plataformas de vídeo on demand em mais de 150 países. A série dá protagonismo ao trabalho de ativistas na Amazônia e pauta um dos principais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, que é a ação climática. O suporte teórico-metodológico basilar é a semiótica da cultura, a partir dos conceitos de Lotman (2013) sobre a constituição e reterritorialização de sentidos. Atesta-se que a narrativa apresenta rupturas de sentidos em relação ao conteúdo e ao formato.

Biografia do Autor

Adriana Pierre Coca, Universidade Fernando Pessoa

Pós-doutoranda em Ciências da Informação na área de Jornalismo e Estudos Mediáticos na Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal. Doutora em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestra em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná. Especialista em Técnicas e Teorias da Comunicação pel Fundação Cásper Líbero. Experiência em direção e produção de televisão. Trabalhou na TV Cultura de São Paulo e no SBT - Sistema Brasileiro de Televisão.

Miriam Tavares, Universidade do Algarve

Professora associada da Universidade do Algarve. Coordenadora do Centro de Investigação em Artes e Comunicação – CIAC/UAlg. Doutora em Comunicação e Cultura Contemporânea pela UFBA e mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP.

Downloads

Publicado

12-10-2022

Como Citar

COCA, A. P.; TAVARES, M. Aruanas: a Agenda 2030 da ONU na pauta da ficção seriada em streaming. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, [S. l.], v. 21, n. 40, 2022. Disponível em: http://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/article/view/872. Acesso em: 8 fev. 2023.