MULHERES NEGRAS E COVID-19: AS MARCAS DISCURSIVAS DE UMA DUPLA EXCLUSÃO

Autores

  • Patricia Gonçalves Saldanha Universidade Federal Fluminense - PPGMC - Laccops
  • Carla Baiense Felix

DOI:

https://doi.org/10.55738/alaic.v19i35.663

Palavras-chave:

Mulheres negras, Covid-19, Interseccionalidade, Publicidade Social de Interesse Público

Resumo

A divulgação de análises e estatísticas por raça, classe, gênero e outros marcadores é fundamental para orientar políticas públicas e campanhas de informação para os grupos mais vulneráveis à Covid-19, entre os quais se destacam as mulheres negras e periféricas. Neste artigo, analisamos semioticamente a forma como esta mulher é interpelada na campanha publicitária “Desenvolvimento Infantil”, produzida pelo Governo Federal e veiculada no site do Ministério da Saúde, para o enfrentamento à doença. Consideramos que a relação entre adoecimento e desigualdades produzidas na interseccionalidade (Collins, 2019) demanda uma comunicação atenta às diferenças.

Biografia do Autor

Patricia Gonçalves Saldanha, Universidade Federal Fluminense - PPGMC - Laccops

Profª Drª Associada 2 da Universidade Federal Fluminense, curso de Comunicação Social (setor de Publicidade e Propaganda) e membro Permanente do PPGMC - UFF (Programa de Pós-graduação em Mídia e Cotidiano). Vice-Coordenadora do GT de Cidadania do ALAIC (2012-2016), Coordenadora do GT de Cidadania do ALAIC (2016-2018), Coordenadora do Intercom Jr. Publicidade. (2015). Coordenadora do Intercom Jr. Cidadania(2016-2018). Experiência na área de Comunicação, com ênfase em Publicidade e Propaganda e Comunicação Comunitária. Pesquisa Publicidade Social (comunitária, afirmativa, de interesse público, transversal, de causa) e Publicidade Sensorial, Fundadora e atual Líder do LACCOPS (Laboratório de Investigação em Comunicação Comunitária e Publicidade Social)  e membro fundadora do INPECC (Instituto Nacional de Pesquisa em Comunicação Comunitária). Mestrado(2003) e doutorado(2009) em COMUNICAÇÃO E CULTURA(2003) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Atual Pós-doc em COMUNICAÇÃO E CULTURA ( Publicidade Sensorial), além de especializações no Baruch College (NY/EUA). Com forte atuação na estruturação e na vice-coordenação do LECC (Laboratório de Estudos em Comunicação Comunitária/ECO/UFRJ).

Downloads

Publicado

03.02.2021

Como Citar

SALDANHA, P. G.; BAIENSE FELIX, C. MULHERES NEGRAS E COVID-19: AS MARCAS DISCURSIVAS DE UMA DUPLA EXCLUSÃO. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, [S. l.], v. 19, n. 35, 2021. DOI: 10.55738/alaic.v19i35.663. Disponível em: https://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/article/view/663. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Comunicação popular, cidadania e mudança social / Dosier: Comunicación Popular, Ciudadanía y Cambio Social