Folkcomunicação e resistência: elementos de uma práxis informacional

Autores

  • Guilherme Moreira Fernandes
  • Flávio Menezes Santana
  • Karina Janz Woitowicz

DOI:

https://doi.org/10.55738/alaic.v20i38.753

Resumo

Este artigo tem como objetivo fazer uma articulação entre a teoria da Folkcomunicação,
formulada pelo brasileiro Luiz Beltrão, e o ideal da resistência, tônica dos estudos
comunicacionais progressistas em âmbito latino-americano. Inicialmente o artigo dialoga com
as evidências teóricas e empíricas para a construção de uma teoria brasileira da comunicação,
destacando a função de práxis informacional. Na sequência, é abordada a resistência cultural,
política e comunicacional com base em perspectivas latino-americanas, com foco na atuação
dos movimentos sociais que utilizam diversos tipos de mídia on-line e off-line. O estudo
se efetiva a partir de pesquisa bibliográfica e conclui sobre a atualidade das manifestações
folkcomunicacionais como resistência no exercício da conquista de direitos (humano, social e
ambiental) e liberdades (religiosa, civil, política) enunciadas a partir de um movimento com
matriz informacional.
Palavras-chave: Folkcomunicação; Resistência; Movimentos sociais; Direitos Humanos

Downloads

Publicado

09.03.2022

Como Citar

FERNANDES, G. M. .; SANTANA, F. M. .; WOITOWICZ, K. J. . Folkcomunicação e resistência: elementos de uma práxis informacional. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, [S. l.], v. 20, n. 38, 2022. DOI: 10.55738/alaic.v20i38.753. Disponível em: http://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/article/view/753. Acesso em: 2 mar. 2024.