Violencia mediática y feminicidio. Alcances y limitaciones de un concepto emergente

Autores

Palavras-chave:

Violência midiática, Feminicídio, Práticas discursivas, Meios de comunicação

Resumo

Este artigo problematiza o escopo e as limitações do conceito de violência midiática para a
análise do tratamento jornalístico do feminicídio. A reflexão que propomos se baseia na análise
de 278 notas jornalísticas de dois casos de feminicídio que ocorreram no México em 2017,
utilizando as metodologias de análise crítica do discurso e análise de conteúdo. As descobertas
nos permitiram propor uma tipologia específica de violência midiática no tratamento
jornalístico do feminicídio que contribui para questionar como a mídia pode violar as vítimas
do feminicídio e suas famílias, produzindo e reproduzindo informações revitimizantes.

 

Biografia do Autor

Soledad Rojas-Rajs, Universidad Autónoma Metropolitana unidad Xochimilco

Soledad Rojas-Rajs es Investigadora por México del Departamento de Atención a la Salud en la Universidad Autónoma Metropolitana, unidad Xochimilco (UAM-X). Doctora en Ciencias en Salud Colectiva (UAM-X).

Marisol Anzo-Escobar, El Colegio de la Frontera Norte

Socíologa y maestra en Comunicación y política por la Universidad Autónoma Metropolitana, candidata a doctora en Estudios Culturales por El Colegio de la Frontera Norte.

Downloads

Publicado

06-08-2022