Pensar o rádio como plataforma

Autores

  • Marcelo Kischinhevsky Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.55738/alaic.v22i44.1067

Palavras-chave:

comunicação, rádio, plataformização, rádio expandido

Resumo

O presente artigo constitui ensaio teórico sobre o pioneirismo do rádio na plataformização da mídia e sobre os desafios que o meio enfrenta, em nível internacional e particularmente no Brasil, no contexto da digitalização das indústrias midiáticas e culturais. Advoga-se a importância de um novo ambiente regulatório para a mídia sonora, que assegure a diversidade na oferta de bens simbólicos em áudio e permita conter o processo de oligopolização em torno de um punhado de conglomerados de tecnologia, as chamadas big techs.

Biografia do Autor

Marcelo Kischinhevsky, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura e dos cursos de Jornalismo e Radialismo da Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde dirige o Núcleo de Rádio e TV. É doutor e mestre em Comunicação e Cultura pela mesma instituição e bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, email: marcelo.kisch@eco.ufrj.br.

Downloads

Publicado

25.01.2024

Como Citar

KISCHINHEVSKY, M. Pensar o rádio como plataforma. Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, [S. l.], v. 22, n. 44, 2024. DOI: 10.55738/alaic.v22i44.1067. Disponível em: https://revista.pubalaic.org/index.php/alaic/article/view/1067. Acesso em: 18 maio. 2024.